Lázaro de Carvalho

052 – Os sintomas

In Artigos on 28 de maio de 2011 at 13:04

         sintomas 1

         O TOLO ESTÁ SEMPRE IDENTIFICADO COM OS SINTOMAS.

Na literatura médica, sintoma é qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações. Eles são subjetivos, sujeitos à interpretação do próprio paciente. A variabilidade descritiva dos sintomas varia enormemente em função da cultura do paciente, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções. O embate constante contra os sintomas, renovado a cada dia e com maior frequência é o artifício que encontramos para mantê-los ativos, digamos que seja um aliado a serviço do sofrimento inútil. Insistimos em dizer que somos todos seres de continuidade, em razão disso precisamos constantemente adubar a imaginação, por isso renovamos sempre os rótulos imaginários para manter ativo o seu raio de ação. Aceitar e alimentar sintomas requer que estejamos identificados com eles, portanto, veda todo esforço no sentido de atacar a verdadeira causa dos distúrbios. Sintomas são alertas, um convite a repensar hábitos e costumes.

sintomas 2Perdas, paixões e miséria; a fome que assola o mundo, a angústia e insensatez da humanidade; as fronteiras imaginárias que dividem territórios entre ricos, pobres e miseráveis; também o desequilíbrio evidenciado no ecossistema planetário, além da poluição e tantos outros fatores, são apenas sintomas. Algo que sugere avaliar o alcance, o foco real da doença. Por detrás das perdas há sempre um rompimento malogrado da continuidade; sob os impropérios das paixões, assim como do desejo, amor, ódio e todos os demais sentimentos humanos, há causas determinadas e efeitos necessários dignos de conhecimento. Misérias, tanto pessoal, quanto social são sintomas alertando para a exclusão, degradação e inversão de valores. A fome nos acena para o incalculável contingente de excedentes fétidos jogados ao lixo; para a degeneração e ausência de significado do outro, quando parte importante da existência. Angústia e insensatez alertam para o rompimento de elos milenares, para um rótulo de exigências acima do necessário à vida e suas credenciais de paz de espírito, mansidão e ternura. Linhas imaginárias, castas mentais estabelecidas ou doutrinadas a dividir ricos, pobres e miseráveis são um alerta para a ausência de amor, respeito e consideração por si mesmo, pelo próximo e pela Terra. Todo desequilíbrio psíquico reflete na aura do planeta; todo estado putrefato de ecologia interior tem reflexos no equilíbrio e nas relações ecológicas.

sintomas 4O foco da doença tem o seu ponto central ancorado na negligência. Mas a negligência não se apresenta isolada no contexto, e sim no entorno de suas colaboradoras diretas: a irresponsabilidade e a omissão. Em verdade, somos irresponsáveis e omissos por tradição. Preferimos dar ‘um jeitinho’ e não nos comprometer com nada além disso. Paliativos são bem-vindos ao glamoroso mundo das mentes cansadas. Observe e verá que não podemos sequer pensar em ecologia sem a Lembrança de Si Mesmo. Antes de dissertar a respeito de ecologia é preciso observar se o homem moderno está dedicando os devidos cuidados para manter indenes o Lobo e o Cordeiro confiados à sua guarda. O Lobo é Gaia, a Alma da Terra, e o Cordeiro é o Símbolo Místico do Sol de Heliópolis. Ambos são resplendor e vida a todos os seres sencientes do planeta.

sintomas 3

SOMOS TODOS PARTES INFINITESIMAIS DO CORDEIRO, INCLUSIVE O PRÓPRIO LOBO. AFINAL, SOMOS TODOS FRAGMENTOS DO SOL.

Estamos prostituindo o instinto imaculado do Lobo na devassidão das paixões e desejos desenfreados. Estamos consumindo muito além do necessário, com reflexos diretos nas reservas naturais do Planeta. Sintomas de exasperação, dispnéia e estresse tem relação direta com a desarmonia em relação ao batimento cardíaco planetário. O pulsar da Terra é uníssono ao coração do homem desperto. O Lobo é espada e flor, a sensibilidade humana é que responderá por um ou outro. Como seres humanos, bípedes, dotados de inteligência e poder de reflexão cumpre curar a ferida, não embriagá-la de analgésicos atenuantes. A alma lupina é instintiva, o Lobo não se permite iludir por vãs expectativas da mente enfadonha do homem moderno. Só o que é essencial, absolutamente necessário, atrai o olhar penetrante do Lobo, determinando sua ação. O Lobo não é reativo, não obedece a sintomas de espécie alguma. Coloque diante dele uma sacola com dois milhões de dólares e uma loba no cio, e preste atenção aos seus movimentos. O Lobo não mantém em seu nome uma conta poupança com excedentes fétidos. Ele não necessita de escudos artificiais de proteção. O Lobo é puro instinto, sintomas reais para ele são reações sísmicas, pois é capaz de antevê-las com até dias de antecedência.

sintomas 5Existe uma enorme diferença entre o perfil do Lobo e aquele da procissão da miséria humana. O Lobo e o Cordeiro são partes (Forças) inseparáveis da essência (Trindade), simbolicamente o estado genuíno da alma daquele que despertou, enquanto que a característica principal da procissão da miséria humana é o estado de sono, uma letargia induzida que mantém todos os seus integrantes adormecidos. É necessário ao homem abrir mão do seu fazer obstinado e cruel, sedento de poder e vaidade, para que a Alma da Terra e os Reflexos do Sol possam agir em plenitude sobre ele. O Lobo não aprecia o jargão: “A pé você não come ninguém”. O estado de sono que assola a humanidade é um sintoma de negligência, decadência, submissão e fraqueza da raça humana. Se em escala e relatividade somos uma espécie de deus para o planeta, esse estado de sono omisso e inconsequente não permite ver as necessidades prementes de uma Terra em estertor.

Alguém pode estar pensando: Lobos são sanguinários e ferozes, pois se alimentam da carne de cordeiros. Nós, os seres humanos tricerebrais dotados de inteligência e evolução, consumimos mais carne de cordeiro do que possamos inicialmente imaginar. Muito além daquilo que lobos consomem, com a agravante de que lobos o fazem por necessidades de subsistência e nós o fazemos, na grande maioria das vezes por vaidade e satisfação pessoal. Por curiosidade apenas, verifique a lista dos restaurantes que servem carne de cordeiros, escolha um de sua preferência e lhe faça uma visita para um almoço festivo de fim de semana. Aconselho fazer antes uma reserva, caso contrário correrá o risco de enfrentar uma longa fila de espera. Já despertou sua atenção para os excedentes fétidos deixados por sobre as mesas? Veja por si mesmo se esses traços pertencem à civilização ou à barbárie. Mas nem por isso somos classificados como: animais ferozes. E o que dizer dos patos, peixes, porcos, marrecos, pacas, galinhas e outras coisas mais que estão apodrecendo no habitat pouco ou nada ecológico de nosso estômago. Observe a Si Mesmo e verá como sintomas despercebidos hoje, podem estar qualificando o futuro a partir das incertezas do agora.

A crueldade humana não tem limites.

A crueldade humana não tem limites.

Lembre-se do texto ‘O Santo Graal’, quando o Lobo aplacou a dor do Cordeiro Imolado ao amenizar suas chagas e sorver o sangue Sagrado. Também não se esqueça da parábola de Lázaro, onde ele, o Lobo, por sob a mesa, permaneceu na companhia do moribundo, aplacando a dor de suas feridas, enquanto migalhas da civilização lhe eram jogadas ao chão. Se dedicarmos um pouquinho mais de atenção ao tema e tivermos o cuidado de folhear as páginas do Livro Sagrado iremos ver que, após a morte, Lázaro contempla as linhas paralelas entre os mundos, e observa, por detrás da parede de névoa, o cortejo triste da procissão da miséria humana. Será que observa sozinho? Lázaro é o nome que por direito recebe todo aquele que venceu a angústia das incertezas, da miséria, das injustiças e da ingratidão em si mesmo. Portanto, Lázaro é  “Aquele a quem Deus faz ver além da retina opaca dos condicionamentos. O fazer do Altíssimo reflete nos olhos de Lázaro. A intenção lhe acena e ele prontamente abre todas as portas para recebê-la. Lázaro é o símbolo de todo aquele que por toda a vida manteve indenes o Lobo e o Cordeiro confiados à sua guarda.

Fidelidade, instinto de gratidão.

Fidelidade, instinto de gratidão.

Por isso dissertamos a respeito de sintomas. A dor e a humilhação de Lázaro eram sintomas, mas ele viu e compreendeu além. Para ver além das espessas cortinas de um quarto inerte e frio, precisamos praticar a Observação de Si Mesmo.

Sintomas são os decodificadores de  algo. São sinais de alerta, um convite ao despertar. Necessitamos ver além dos limites condicionantes do corpo. 

Todos aqueles que dividem estas páginas comigo, também são convidados a dividir responsabilidades: Ser a voz de Gaia, a alma da Terra convidando os seus filhos amados para o despertar.

sintomas 8

Como seres eco-equilibrados, tal sementes de um novo tempo, somos porta-voz de uma nova maneira de pensar. O despertar interior do homem é um estado de consciência, onde ver tem o significado de agir. A partir daqui ouvimos a voz dos sintomas, detectamos a sua origem e vamos de encontro a ela. Não alimentamos mais aparências, nem estamos a serviço das ilusões. Ecologia desperta é isso, começa em si mesmo e tem reflexos saudáveis no planeta. Não mensuramos em causa própria, nem estamos ao serviço do sistema, pelo contrário, o contestamos em seus ideais de consumo como codificador de progresso. Melhor seria fechar para balanço e só reabrir quando o saldo social e humano fosse satisfatório.

Que assim seja!

Anúncios
  1. […] GERAR UM PROCESSO DE CURA. O QUE DEVEMOS REALMENTE FAZER É CURAR O FOCO, PARA QUE OS SINTOMAS (ART. 052) SIMPLESMENTE […]

  2. […] onde tanto no Antigo, quanto no Médio e Novo Império vamos deparar com os mesmos sintomas (art. 052) de ascensão, decadência e queda. No decorrer de mais de três mil anos o Império Egípcio passou […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: